Jorge A. Paulus Bruno*

O Inventário do Património Imóvel do Concelho da Ribeira Grande conheceu dois momentos de trabalho, um primeiro que ocorreu entre os meses de Maio a Agosto de 2000 e outro dois anos depois, de Novembro de 2002 a Março de 2003. Razões que se prenderam com a dificuldade de disponibilização atempada de recursos financeiros conduziram à necessidade de abrandar o ritmo dos trabalhos, forçando a suspensão da primeira campanha de terreno.

No âmbito dos primeiros trabalhos (2000), decorreu inicialmente uma fase de preparação na qual foram realizadas acções de pesquisa bibliográfica e documental sobre o concelho. Como resultado desta pesquisa importa salientar essencialmente dois dossiês cuja informação foi objecto de consultas detalhadas e frequentes como comprovam as referências inscritas nas respectivas fichas no campo da bibliografia e documentação de referência: “Plano de Urbanização da Ribeira Grande – Património Construído”, Eurometa, Consultores de Planeamento, Engenharia e Arquitectura, 1998 e “Arquivo da Arquitectura Popular dos Açores”, AAVV, Associação dos Arquitectos Portugueses, 1993.

A primeira equipa de terreno foi constituída por Bruno Pereira Leite e Margarida Maria de Almeida Jesus Freire que, logo de início, tomou contacto com o património construído do concelho e procedeu ao seu consequente levantamento com base nos critérios estabelecidos. O acompanhamento do seu trabalho fez-se através de visitas ao terreno do coordenador do projecto. Durante a última visita, com a participação da equipa de consultores (João Vieira Caldas e José Manuel Fernandes), procedeu-se à decisão sobre as espécies imóveis que deveriam ser inventariadas.

Logo no início desta campanha de terreno – e tendo em vista assegurar uma ampla divulgação e criar uma dinâmica cultural ascendente em torno deste projecto, procurando envolver a comunidade através da sua participação activa – realizou-se, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, uma sessão pública de apresentação e discussão do projecto pelo coordenador, na qual estiveram presentes e participaram, para além de diversos munícipes, representantes das principais instituições públicas e privadas do concelho. Ainda no âmbito desta campanha, no átrio superior dos Paços do Concelho, foi também apresentada uma exposição sobre a Arquitectura Popular dos Açores, concebida e realizada pela então Associação dos Arquitectos Portugueses. Como resultado destas acções, devem sublinhar-se os munícipes que, sempre prontamente, se disponibilizaram para prestar qualquer colaboração solicitada. O seu apoio e colaboração contribuíram determinantemente para a concretização deste projecto.

O segundo momento de trabalhos (2002/2003) retomou o que já havia sido realizado, dando seguimento à caracterização das espécies (descrição textual, levantamento fotográfico e, eventualmente, em esquisso). Todavia, tornou-se necessário proceder a uma reavaliação das inventariações atendendo ao facto de algumas delas, durante o período em que mediou as duas campanhas, terem perdido as qualidades que sustentaram a sua selecção. Também, do mesmo modo, se poderia admitir que outras espécies se teriam qualificado ou até surgido de novo. Por esta razão, a data de inventariação que é registada nas fichas é a que corresponde ao segundo momento de trabalho.

Nesta fase , outra equipa de terreno foi chamada a desempenhar esta tarefa. Ela foi constituída por Ana Mafalda dos Santos Vicente e Patricia Susan Diogo Kinney. De igual modo, esta equipa foi acompanhada pelo coordenador e pelos consultores através de várias visitas efectuadas ao terreno.

Concluído o Inventário do Património Imóvel do Concelho da Ribeira Grande, resultaram duzentas e vinte e duas espécies inventariadas, a que correspondem mais de quatro mil imagens, entre diapositivos, fotografias a preto e branco, esquissos, desenhos e plantas.

*Coordenador do Projecto do Inventário do Património Imóvel dos Açores

O Inventário do Património Imóvel do Concelho da Ribeira Grande
Ribeira Grande: de Nobre Vila a Nova Cidade. Marcos na História de um Concelho
Ribeira Grande: Aspectos da sua Evolução e História Urbana
O «Estilo Micaelense»
São Miguel, Ribeira Grande
Inventário do Património Imóvel dos Açores
Última actualização em 2008-02-07