11.42.11 QUINTA DE NOSSA SENHORA DO MONTE
ALMAGREIRA • MEIA LARANJA
EDIFÍCIO ISOLADO
ARQUITECTURA DOMÉSTICA
ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO INICIAL: SÉC.XIX
 

DESCRIÇÃO: Casa rural (antiga casa de quinta) constituída por habitação, ermida, corpo do escritório, casa do alambique, cisterna, retrete e curral de porco.
O corpo da habitação é de planta rectangular com dois pisos (lojas no piso térreo) e sótão. Tem "caixa do lar" (com "janela da gateira" e "chaminé de vapor") e forno semicilíndrico (sobre embasamento) salientes. No ângulo do forno com a habitação existe um balcão com escada para acesso ao piso superior. As janelas são de guilhotina de duas folhas.
A ermida, de planta rectangular e nave única, está adossada à empena esquerda da habitação. A fachada está dividida em dois níveis por uma cornija e tem dois vãos ao eixo: porta no nível térreo e janela ao nível superior. As ombreiras da janela prolongam-se até à cornija intermédia onde assentam por meio de volutas. A fachada é rematada por uma cornija ondulada e quebrada (encimada por quatro pináculos nas quebras) de onde pendem duas faixas. Entre as faixas existe uma cartela com a inscrição "NSDM / 1819".
No interior, sobre a entrada, existe um coro-alto.
O acesso à ermida faz-se por três degraus em cantaria, em semicírculo. O adro, de planta quadrangular, é limitado por um murete em alvenaria de pedra rebocada e caiada com remate de cantaria.
À direita da habitação situa-se o corpo do escritório, de planta rectangular, com um só piso implantado quase ao nível do piso superior da habitação por assentar numa plataforma elevada. O corpo do escritório está unido à habitação por um alpendre, com escada de acesso própria, aberto para uma espécie de pátio traseiro. Por baixo do alpendre existe um nicho em arco de volta perfeita com uma pia de lavar. A casa do alambique está adossada à empena direita do corpo do escritório.
Todas as edificações são construídas em alvenaria de pedra rebocada e caiada.
A capela tem o soco (saliente), os cunhais (apilastrados), as molduras dos vãos (de verga curva encimada por cornija), as cornijas, os pináculos, as faixas e a cartela em cantaria.
As coberturas são de duas águas em telha de meia-cana tradicional rematadas por beiral duplo na fachada principal (excepto na capela). O corpo do alambique e o alpendre têm cobertura de uma água.
A cisterna, de planta rectangular, ocupa o espaço compreendido entre o embasamento do forno e o tardoz da ermida.
A retrete, próxima da cisterna, está adossada ao curral do porco.
O espaço murado junto ao escritório e ao alambique, ocupando a plataforma elevada onde existe uma imponente araucária, seria primitivamente o jardim da quinta. Numa das extremidades do jardim (junto à estrada) situa-se o mirante. É um recinto de planta rectangular, com banquetas, construído em alvenaria de pedra rebocada e caiada com remates em cantaria.
O acesso à quinta faz-se por um pequeno largo, em forma de meia lua, junto à estrada, através de um portal encimado por um frontão contracurvado onde se insere uma pedra de armas. O portal abre para um terreiro de planta rectangular alongada, limitado ao lado direito pelas construções e pelo muro do jardim e do lado esquerdo por um muro simples. Junto ao portal, à esquerda, situa-se o corpo das cocheiras.

ELEMENTOS DATADOS: Inscrição numa cartela na fachada da ermida: "1819".
ESTADO DE CONSERVAÇÃO: Razoável
FUNÇÃO INICIAL: Habitação e apoio à actividade rural
BIBLIOGRAFIA E DOCUMENTAÇÃO DE REFERÊNCIA: Ficha C-4 do "Inventário do Património Histórico e Religioso para o Plano Director Municipal de Vila do Porto".
DATA DE LEVANTAMENTO: 2000-03-16




seguintes >
mapa: 42
Santa Maria. Vila do Porto
Inventário do Património Imóvel dos Açores
Última actualização em 2006-11-03