11.41.16 QUINTA DOS ARRUDAS
ALMAGREIRA • MONTEIRO
UNIDADE PAISAGÍSTICA CONSTRUÍDA
ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO INICIAL: SÉC.XIX/SÉC.XX
DESCRIÇÃO: Quinta constituída por habitação, dois edifícios de apoio às actividades agrícolas (com cavalariças, tanque e depósito de água), currais de porco, recintos murados que envolvem a habitação e os edifícios anexos, "jardim de passeio" (jardim formal) e campos agrícolas.
A habitação é de planta rectangular com um piso sobre caixa-de-ar. Tem forno (com duas bocas) de volume exterior e de planta rectangular (com "janela da gateira" e chaminé com remate de secção rectangular) adossado à fachada lateral direita. Na continuidade do corpo do forno encontram-se a retrete e os arrumos.
A habitação é construída em alvenaria de pedra rebocada e caiada, com excepção dos cunhais, da cornija, das faixas e das molduras dos vãos (com verga de volta inteira sobre impostas) que são em cantaria. O telhado (já inexistente) era rematado por beiral duplo. A caixa-de-ar tem vãos para ventilação. O acesso faz-se por três conjuntos de degraus de planta semicircular, localizados respectivamente aos eixos da fachada principal, da fachada lateral esquerda e da fachada posterior, e por um lanço de escadas de planta rectangular, junto ao corpo do forno, na fachada lateral direita.
A habitação situa-se ao centro de um cerrado de planta rectangular. O acesso ao interior do cerrado faz-se por um portal e um conjunto de degraus de planta semicircular (em cantaria) localizados no enfiamento do eixo da fachada principal. Os muros que limitam o cerrado apresentam um remate de secção triangular com excepção do murete fronteiro à fachada lateral esquerda que tem um remate de nível, em cantaria. No interior deste cerrado, ao redor da habitação, existem algumas espécies arbóreas.
Os currais de porco localizam-se à direita da habitação, encostados ao muro do recinto. São de planta rectangular e construídos em alvenaria de pedra rebocada.
Os edifícios de apoio à agricultura, de plantas rectangulares com um piso, localizam-se no cerrado anterior ao da habitação, definindo, entre si, um terreiro de planta subtriangular. São construídos em alvenaria de pedra rebocada e caiada, com excepção dos cunhais e das molduras dos vãos que são em cantaria.
Uma das construções conserva ainda a cobertura de duas águas em telha de meia-cana tradicional rematada por beiral duplo. Junto da empena esquerda existe um eucalipto de grande porte. O vão central da outra construção (a das cavalariças) é em arco abatido. No interior conserva um depósito de água e um tanque.
O "jardim de passeio" antecede os recintos dos edifícios de apoio e da habitação, sendo limitado pelo muro que ladeia o caminho que lhes dá acesso. A passagem ao interior do jardim faz-se por um portal com remates em cantaria. Ao eixo da verga está inscrita a data "1871".
ELEMENTOS DATADOS: Inscrição na verga do portal do jardim: "1871".
ESTADO DE CONSERVAÇÃO: Ruína
FUNÇÃO INICIAL: Quinta de recreio
BIBLIOGRAFIA E DOCUMENTAÇÃO DE REFERÊNCIA: Ficha C-7 do "Inventário do Património Histórico e Religioso para o Plano Director Municipal de Vila do Porto".
OBSERVAÇÕES: Esta espécie está localizada na cartografia em uso também na quadrícula 42.
DATA DE LEVANTAMENTO: 2000-03-10




seguintes >
mapa: 41
42
Santa Maria. Vila do Porto
Inventário do Património Imóvel dos Açores
Última actualização em 2006-11-03