52.78.42 FAJÃ dos Cubres
RIBEIRA SECA FAJÃ dos Cubres
UNIDADE PAISAGÍSTICA CONSTRUÍDA
ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO INICIAL: SÉC.XV/SÉC.XVII
DESCRIÇÃO: Unidade paisagística constituída pelas marcas da ocupação humana do sítio, em comunhão com os aspetos naturais. A paisagem da fajã é dominada por uma lagoa que preenche grande parte da plataforma que se projeta no mar e está parcialmente envolvida por terrenos de cultivo delimitados por muros de pedra.
Numa das formações peninsulares que penetram na lagoa está uma parte do que resta do único moinho que havia na fajã, assente num embasamento subcircular. No espaço que fica entre a lagoa e o início da encosta há uma pequena povoação que se espalha entre terrenos de cultivo.
As habitações dispersam-se por uma faixa que acompanha o longo caminho sinuoso em terra batida que se estende na direção nascente/poente. As construções ligam-se ao caminho por meio de canadas e pequenas ladeiras. Aproximadamente a meio da povoação e na zona onde o caminho se encontra com a atual estrada de acesso à fajã, que termina num troço perpendicular ao mar, abre-se o terreiro fronteiro à igreja. Como na maioria das fajãs jorgenses, a igreja vira as costas ao mar.
Do conjunto edificado distinguem-se as casas de habitação adaptadas a casas de veraneio e ruínas de antigas casas, igualmente de planta em “L”, quase sempre associadas a pequenos terrenos de cultivo onde ainda são visíveis “quartéis” de vinha delimitados por muros baixos de construção rudimentar. No caminho posterior à igreja, de ligação à lagoa, conserva-se, num recinto murado e rebaixado, um dos diversos poços de maré que existiam na fajã.
ELEMENTOS DATADOS: Cartela na fachada da igreja com a inscrição “1904”; cartela na torre da igreja com a inscrição “1931”.
ESTADO DE CONSERVAÇÃO: Razoável
FUNÇÃO INICIAL: Habitação, habitação sazonal, atividade agrícola, arruamentos e igreja
FUNÇÃO ATUAL: Habitação, habitação sazonal, atividade agrícola, comércio, arruamentos e igreja
BIBLIOGRAFIA E DOCUMENTAÇÃO DE REFERÊNCIA: TEIXEIRA, Odília, Ao encontro das fajãs, 3ª edição, Velas, Câmara Municipal de Velas, 2001.
DATA DE LEVANTAMENTO: 2008-07-14
< anteriores




seguintes >
mapa: 78
São Jorge. Calheta
Inventário do Património Imóvel dos Açores