O Inventário do Património Imóvel do Concelho de São Roque do Pico
 

Jorge A. Paulus Bruno*

A Ilha do Pico foi o espaço geográfico escolhido como primeiro para o teste e aplicação deste modelo ao terreno. No âmbito dos seus três concelhos, o de São Roque foi o seleccionado, pelo que, se por um lado se pode considerar este concelho não ter sido privilegiado por qualquer outra experiência anterior acumulada, é possível garantir que foi objecto de uma atenção experimental, própria de um projecto que pretende assegurar com determinação a sua consolidação, logo a partir de uma fase inicial.

À sua escolha não foi, de resto, alheio um seguro conhecimento do terreno, o que, aliado à sua contida dimensão territorial e populacional, veio tornar mais confortável a complexa tarefa de aplicação e avaliação, pela primeira vez, do desempenho deste modelo recém-criado ao terreno.

Neste quadro, a execução do Inventário do Património Imóvel do Concelho de São Roque decorreu entre os meses de Janeiro e Março de 1998. Cerca de metade deste período foi ocupado na campanha de terreno, onde a equipa (Elis Crisóstomo Marçal e João Pedro Abreu) tomou contacto com a realidade do concelho, no âmbito do seu património construído, e procedeu ao consequente levantamento com base nos critérios estabelecidos. Em paralelo desenvolveram-se pesquisas bibliográficas e documentais relacionadas com o concelho. Como resultado, salientam-se três dossiers, cuja informação, de elevado interesse, conduziu a consultas detalhadas e frequentes: "Arquivo da Arquitectura Popular dos Açores", AAVV, A.A.P., 1993, "Inventário do Património Cultural Edificado do Plano Geral de Urbanização da Vila de São Roque", REGIURBE e PROMAN, 1993 e "Estudo de Salvaguarda do Património Natural e Edificado Característico da Cultura da Vinha da Ilha do Pico" (ESP), CONSULMAR e IMPACTE, 1994.

Logo no início - e tendo em vista assegurar uma ampla divulgação e criar uma dinâmica cultural de sentido ascendente em torno do projecto, procurando envolver a comunidade através da sua participação activa - realizou-se uma sessão pública de apresentação e discussão do projecto pelo coordenador, na qual esteve presente e participou interessadamente, para além de diversos munícipes, uma parte significativa dos representantes das principais instituições públicas e privadas do concelho. Ainda nessa ocasião foi apresentada uma exposição sobre a Arquitectura Popular dos Açores, concebida e realizada pela então Associação dos Arquitectos Portugueses.

Em simultâneo, foi enviado a todas as residências um mailing com um folheto informativo sobre o projecto, destinado a sensibilizar a população em geral para a execução do inventário do património construído do seu concelho.

Em resultado destas acções deve significar-se o considerável número não só de instituições públicas e privadas, como também dos mais anónimos aos mais destacados munícipes que, sempre prontamente, se disponibilizaram a prestar qualquer colaboração solicitada. Entre eles devem salientar-se a Câmara Municipal de São Roque do Pico, na pessoa do seu presidente, Engº Manuel Joaquim Neves da Costa, os presidentes das diversas juntas de freguesia do concelho e o Pároco de São Roque do Pico, Rev. Pe. José Idalmiro Ferreira. O seu apoio e colaboração, traduzido desde a cedência de apreciados recursos logísticos à mais elementar informação, contribuiu determinantemente para a concretização deste projecto.

Coincidindo com a conclusão dos trabalhos no terreno, deslocaram-se ao concelho o coordenador e a equipa de consultores (João Vieira Caldas, José Manuel Fernandes e Rui de Sousa Martins), que, em conjunto com a equipa do terreno e percorrendo todas as localidades, analisaram, avaliaram e - quando foi o caso - corrigiram o trabalho já realizado e decidiram sobre as espécies imóveis que ficariam inventariadas.

Resultaram noventa e nove espécies inventariadas - a que correspondem cerca de seiscentas imagens, entre diapositivos a cores, fotografias a preto e branco, esquissos, desenhos e plantas -, no âmbito das quais se salienta uma clara predominância da arquitectura de habitação ou doméstica sobretudo construída durante o século passado.

*Coordenador do Projecto do Inventário do Património Imóvel dos Açores

O Inventário do Património Imóvel do Concelho de São Roque do Pico
Ilha do Pico. Esboço Histórico
A propósito do Inventário do Património de São Roque do Pico
Sobre a habitação tradicional de S. Roque
Pico. São Roque
Inventário do Património Imóvel dos Açores
Última actualização em 2006-03-09