41.10.9 Igreja de Santo AntÓnio da VitÓria
GUADALUPE • VitÓria
EDIFÍCIO ISOLADO
ARQUITECTURA RELIGIOSA
ÉPOCA DE CONSTRUÇÃO INICIAL: SÉC.XX
DESCRIÇÃO: Igreja de nave única situada num adro nivelado e murado junto à estrada. É composta pelo corpo principal, rectangular, que corresponde à nave, pelo corpo mais estreito da capela-mor, pelo corpo da sacristia, encostado à fachada lateral esquerda da capela-mor, pelo corpo quadrangular do baptistério, pela torre e por um anexo de apoio encostado ao tardoz.
A fachada principal é delimitada pelo soco, pelos cunhais e, superiormente, por um remate contracurvado que eleva uma cruz assente numa base saliente que corta o vértice. A eixo há uma porta com a moldura rematada em arco deprimido, cujas ombreiras têm bases e plintos salientes. Ao nível do coro há duas janelas com as molduras semelhantes à da porta. Acima das janelas, a eixo, há um registo em azulejo, de contorno lobulado, com a data "1907".
O corpo da torre, de planta quadrada, encosta do lado direito da fachada. Está dividido em dois níveis por uma faixa horizontal. O nível superior tem dois vãos de sino rematados em arco de volta inteira peraltado assente em impostas. A torre é delimitada pelos cunhais, rematada por uma cornija com pináculos nos ângulos e encimada por um coruchéu octogonal.
O corpo do baptistério, de construção mais recente, encosta ao meio da fachada lateral direita da igreja aproveitando a antiga porta lateral do lado da epístola. Tem um conjunto de frestas escalonadas para iluminação.
No interior, a entrada principal está protegida por um guarda vento de madeira. Do lado da epístola, no ângulo formado pelas paredes, há uma escada de acesso ao coro alto. Neste coro há uma porta do lado da epístola que dá acesso à torre e ao respectivo campanário. Do lado do evangelho, a eixo da parede lateral, há uma porta encimada por uma janela, ao lado direito da qual se situa o púlpito, de madeira, acessível por uma escada paralela à parede. De cada lado do guarda vento e à esquerda da porta lateral há pias de água benta. Em posição oposta à porta lateral situa-se a passagem para o baptistério, sobre a qual se abre uma janela.
O arco triunfal é de volta inteira assente em impostas. A capela-mor tem uma porta do lado do evangelho que dá acesso à sacristia. Do lado da epístola há uma janela. Na parede do fundo tem um retábulo ingénuo em madeira pintada. Na sacristia, junto à porta de comunicação com a capela-mor, há uma pia de água benta embutida na parede e encimada por uma cruz.
O edifício é construído em alvenaria de pedra rebocada e pintada de branco excepto o soco, os cunhais, o remate superior da fachada, a faixa, a cornija, os pináculos e as molduras dos vãos que são em cantaria à vista. As coberturas do corpo principal, da capela-mor e da sacristia são de duas águas, sendo em telha de meia-cana tradicional no corpo principal e em telha de aba e canudo nos restantes corpos. O anexo no tardoz tem cobertura de uma água. O baptistério tem cobertura plana de betão armado.
No adro, junto à porta lateral, há um dragoeiro centenário cuja copa "esconde" a fachada lateral esquerda. O pavimento junto à porta principal tem um empedrado decorativo. Já fora do adro, do lado direito, situa-se uma enorme araucária.
ELEMENTOS DATADOS: Registo em azulejo na fachada principal com a inscrição "1907".
ESTADO DE CONSERVAÇÃO: Bom
FUNÇÃO INICIAL: Igreja
FUNÇÃO ACTUAL: Igreja
BIBLIOGRAFIA E DOCUMENTAÇÃO DE REFERÊNCIA: Igrejas e Ermidas da Graciosa, Vital Cordeiro Dias Pereira, Secretaria Regional da Educação e Cultura / Direcção Regional dos Assuntos Culturais, Angra do Heroísmo, 1986.
OBSERVAÇÕES: Todos os bancos da igreja têm gravada a data "1947" e "OFERTA MANUEL CORREIA PICANÇO".
Em frente à igreja, do outro lado da rua, situa-se um "império".
DATA DE LEVANTAMENTO: 2004/06/26




seguintes >
mapa: 10
Graciosa. Santa Cruz
Inventário do Património Imóvel dos Açores